quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Conversa sobre dentes moles

- Meu filho, teu dente tá quase caindo!! Se a gente puxar, ele sai!!
- Não, mãe! Eu já disse que ele vai cair sozinho. Eu quero que ele siga os "instintos naturais" dele.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Imaginação galopante

Está comprovado: basta um monte de areia e uns carrinhos velhos para a criançada entrar em êxtase.

Enzo (verde), Gabriel (branco) e Luan (azul) aproveitando a reforma.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Cenas do cotidiano

1 - A mãe está chegando em casa com o filho depois de trabalhar o dia inteiro e pegar o pequeno na escola. É horário de verão. Ainda está claro. Na rua, meninos da vizinhança jogam futebol. Animado e ansioso, o pequeno mal espera o carro parar. Sai correndo pela porta, gritando Liberdade! Liberdade!

2 – A mãe cuida de um machucadinho no dedo do pé do filho. Não é nada grave, mas o pequeno não perde a chance de fazer um dengo. A mãe carinhosamente larga um “quando casar passa”. O filho fica alarmado, acha que é muito tempo. Depois de alguns segundos em silêncio, pergunta o que a mãe acharia se ele se casasse com Carly, protagonista do iCarly. Ela é bem linda, diz o pirralho. A mãe não sabe se acha bom ou ruim. O ciúme arranha suas entranhas.

3 – Depois de enrolar durante um tempo que parecia infinito, o filho finalmente chega na última etapa do procedimento diário conhecido por “ir dormir”, iniciado com o Nescau quentinho. Na cama, bem postado no colo da mãe, aguarda a leitura do livro escolhido a dedo. A mãe, que está num dia de muito cansaço mental, lê o livro, mas resolve pular uma palavrinha aqui ou ali. O filho, que agora sabe ler, percebe. E questiona. E reclama. E exige devolução. De todas as palavras engolidas.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Cadê a resposta?

Final de semana, depois de um pouco de televisão, surge a pergunta:
– Mãe, por que essas cantoras bonitas gostam de se apresentar usando maiô?!

sábado, 25 de setembro de 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Dentes-de-leite: o início do fim

"Mãe, acho que tem um dente novo lá no fundo da minha boca!"
Fomos conferir e era fato: lá estavam, no fundão, um de cada lado, as pontinhas dos primeiros molares.
Eu achei bem emocionante. Parece uma confirmação de que o meu filhinho não é mais um neném.
O próprio Gabriel achou legal, apesar de nenhum dente ter caído ainda. Na escola dele, vários colegas já estão banguelas, muitos sem nem estarem na idade "regulamentar". Há meses ele planeja a troca dos dentes-de-leite pelas moedinhas da Fada dos Dentes. Outro dia perguntou se ao invés de moeda, ela não poderia deixar um brinquedo novo... Ê, safado!
Pelo que me recordo, na minha infância não teve disso não. Tenho umas memórias meio nebulosas de um fio ligando um dente mole na maçaneta de uma porta. E memórias bem atuais dos anos em que fiquei usando aparelho ortodôntico, já adulta.
Tomara que os dentes do Gabriel venham todos fortes, retos e imaculados. E que a Fada dos Dentes o proteja!!

sábado, 5 de junho de 2010

Amigos da rua


Da esquerda pra direita: Vitor, Iago, Murilo, Luan, Gabriel e Enzo.
Diversão garantida.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

É neném ou não é?

Provas de que o seu neném está crescendo:

1 - ele acorda no meio da noite e vai sozinho fazer xixi
2 - as fantasias de Batman e Power Ranger não servem mais
3 - futebol é seu assunto predileto
4 - ele troca de roupa sozinho sem botar nada de trás pra frente
5 - ele resolve que é hora de aprender a andar de bike sem rodinhas

Provas de que o seu neném ainda é o seu neném:

1 - ele não dorme sem o seu naninha
2 - ele gosta de ganhar colo na hora de subir pra cama
3 - ele toma Nescau toda manhã, de canudinho, bem devagar, assistindo desenho
4 - ele ainda gosta de todos os seus brinquedinhos
5 - ele ainda chora por motivos bobos. Mas só às vezes.

Diversão na van

E a volta para casa de transporte escolar, que antes era motivo de reclamação, agora é de diversão.
Ontem, segundo o Gabriel, a molecada veio brincando de fazer noticiário para TV. Tinha produtora, repórter, câmera, personagens e, claro, muita imaginação.
Queria ter visto.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Estreia em movimentos populares


E foi na Lagoa a estreia do Gabrielzinho em movimentos populares.

Ele, eu, Paulo, Pê e outras 500 pessoas aproveitaram a tarde de sábado para protestar contra o Plano Diretor que pretende autorizar a construção de prédios de mais de dois andares na Lagoa da Conceição.

Muitas crianças, música, apitos, até o pessoal da escola de samba compareceu.

Gabriel curtiu - e questionou - bastante: "O que é protesto?", "O que é plano diretor?", "O que é democracia participativa?",...

Entre os conhecidos, encontrei o jornalista Celso Martins, que fez essa foto do Gabi. O blog do Celso, com mais fotos do movimento, pode ser acessado aqui.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Do que perdemos

Às vezes tenho vontade de ficar 24 horas por dia de olho no meu filho. Entraria com ele na escola, daria o chamego de despedida, me transformaria num mosquitinho, e ficaria quietinha num canto da sala, vendo com quem ele conversa, sobre o que conversa, do que brinca, do que ri.
Como isso não é realizável – e nem bom para a saúde mental de ninguém –, tenho que me acostumar com a ideia de que grande parte da vida do Gabriel será sempre uma incógnita para mim. Pior: com o passar dos anos, essa parcela tende a aumentar cada vez mais.
Já vão longe os tempos em que eu ficava com meu bebê de dia e de noite, praticamente sem sair de casa, eu de licença maternidade e ele sem saber que existia um mundo lá fora.
Hoje ele já brinca sozinho na rua com os amigos e diz “pode ir, mãe” quando chegamos na sala de aula. Daqui a alguns anos, vai sair de noite com os amigos e eu sequer vou saber ao certo por onde ele andará.
A mim, só restará aceitar que “criamos os filhos para o mundo” ou tentar colher alguma informação extra, como fiz ontem:

- E o lanche coletivo, filho?
- Foi bom.
- Os amigos gostaram?
- Sim.
- Gostaram do sanduíche?
- Gostaram.
- E da gelatina?
- Mãe, não ta vendo que não sobrou nenhuma?! Agora chega de tanta pergunta!...

quarta-feira, 10 de março de 2010

Lanchinho com pão integral

Hoje foi a vez do Gabriel fornecer o lanche coletivo para toda a turma.
O cardápio foi elaborado por uma mãe nutricionista: sanduíches de pão integral sem casca recheados com requeijão, queijo mussarela e presunto cozido, gelatina em copinhos, suco de uva e dois abacaxis picados.
Tive sorte: tem mãe que vai ter que levar, entre outros quitutes, ovos de codorna cozidos e descascados. Ou preparar sanduíches com queijo, azeite de oliva e gotinhas de shoyo. Granola e danoninho também figuram na lista.

terça-feira, 2 de março de 2010

Olha a cobra!


Estamos novamente em março, mês em que as cobras de Floripa saem da toca para pegar um solzinho.
Há poucos dias, uma amiga veio contar, apavorada, que apareceram dois filhotes de coral na escola dos seus filhos. Bem no pátio onde eles brincam!! As professoras disseram que não era para se assustar: era normal nessa época, e bastava ninguém mexer com elas. Ui!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Surdo e mudo?

Domingão, final de tarde, todas as crianças da vizinhança brincando na rua, em frente a nossa casa. Bicicletas, patinetes, carrinhos, bonecos amarrados a pára-quedas de saco de supermercado, lutas de espada, burburinho geral.
Como o entra e sai em busca de novos brinquedos era grande, deixamos a cachorra presa e o portão aberto.
E foi então que o surdo e mudo se materializou. Quando vi, já tinha ultrapassado o portão e estava quase dentro da nossa casa. Era um senhor beirando os 40 anos, levando na mão um papel onde pedia ajuda, falava das suas deficiências e oferecia doces - R$ 3 cada um.
Expliquei a ele, com gestos, que não queria. Encaminhei-o ao portão e olhei para a rua, procurando meu filho com os olhos.
Percebi então que, rapidamente, o cara havia dado meia volta e estava entrando em nossa casa. Pedi para ele sair e nada. Chamei o maridão, que por sorte estava na sala. Ele se levantou, e perguntou para o surdo e mudo quem ele pensava que era, para ir entrando assim na casa dos outros, e que fosse saindo imediatamente para não se arrepender.
Para minha surpresa, não é que o safado ouviu tudo e se mandou rapidinho?!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Reunião de pais

O novo colégio do Gabi foi aprovado por todos lá em casa. Tudo muito arrumadinho, aulas diferenciadas todos os dias - artes, inglês, música, informática, educação física -, professores instruídos, orientadores atenciosos.
Na terça, tivemos a primeira reunião de pais. Foi interessante ver o envolvimento dos participantes. Durante mais de uma hora, ficamos discutindo sobre a melhor opção: lanche individual ou coletivo. Ganhou a segunda opção, que segundo seus apaixonados defensores é muito mais saudável e prática.
A escola antiga do Gabi não oferecia essa alternativa, que funciona da seguinte maneira: a cada dia, um dos alunos da turma é responsável por trazer o lanche para todos os coleguinhas. O cardápio vai ser elaborado pelas mães de dois alunos, que parecem entender do assunto. Normalmente, é composto de algo salgado, algo doce, suco e fruta.
Parece legal. Vamos ver como funciona. Começa na outra semana.

Tudo novo em 2010


Depois de meses dedicando meus exíguos momentos de folga aos estudos, estou de volta!
E não posso reclamar: a dedicação deu resultado. Passei nos concursos que queria e devo ser chamada em breve para o novo trabalho. Pelo menos assim espero.
Apelidei o Gabriel de "amuleto da sorte", e ele gostou.
Para ele, 2010 também está sendo um ano de grandes novidades.
Pela primeira vez desde que nasceu, ele trocou de escola. Para nosso alívio, voltou dizendo ter adorado tudo.
Também pela primeira vez, voltou para casa de transporte escolar. Isso ele não disse que adorou. Mas também já seria esperar demais...

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Parada


Durante as próximas semanas, darei uma parada no blog para me dedicar aos estudos.

Em dezembro, devo estar de volta...

Deixo uma foto do Gabi: "Vai estudar, mãe, senão..."

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Cigano

– Mãe, o meu amigo perguntou qual era o meu cigano, mas eu não sabia...
– Cigano?!
– É. Ele disse que o dele era escorpião.